Quando chegar

Como podes bela flor,
adentrar em minha vida de modo tão sorrateiro?
Com teu perfume, embriaga as minhas emoções.
Com teu encanto, alegra meu coração.

De modo inexplicável, te encontrei pelos caminhos tortuosos da vida.
Vós, prestes a murchar sem ter alguém para te regar.
Mais nosso encontro não foi por acaso, regar-te-ei todos os dias
Até suas belas pétalas revigorarem.

Mesmo que inda estejas em processo de recuperação
Sua fragrância magnifica exala um poder indescritível
Sua transformação ocorrerá
Sua essência mais bela ficará.

Não te aflijas bela flor
Estarei sempre ao seu lado
Haverá dissabores, desgostos e contrariedade
Mais sempre haverá amor
Para manter a alegria e a serenidade.

Não posso fugir

Não posso fugir da verdade…
Crueldade! Amo sem vaidade.
Meu corpo intacto, padece….
Vejo-lhe distante, sinto saudade.
Nesse meu querer adormeço!
Sinto-me serva desse desejo.
Guardo n’alma infindo segredo,
Tocar-lhe e no oculto buscar.
Madrugada afora não lhe vejo.
Resignei! Finjo ser rude, forte,
De sua boca palavras sem nexo!
No meu coração tanto sentimento,
Indelével! Como não querer, almejar,
Amo-lhe, em todo momento…!

O tempo

O tempo urge e eu não estou contente
De repente tudo está por fazer
E eu procuro me apressar,
Mas apesar de tudo, ainda estou aqui.
Não me iludo, não te iludo
Nada vai mudar
As mágoas ficarão no mesmo lugar.
Só promessas, só conversas
É o que restará na memória
Da longa história de nós dois,
Tudo, enfim, já foi dito
E redito, sem porém, nada explicar.
As palavras ferem, podem influenciar
Qualquer decisão que pese
Qualquer caminho a trilhar.
As palavras ferem,
Até a alma dilacerar
E o que ficou para trás
Só quem sofreu pode lembrar.
Adoecer, enlouquecer
Até o coração se aquietar,
Evoluir, prosseguir
Fazer da dor meu caminhar,
Seguir em frente, lentamente
E não olhar para trás,
Seguir a fim de ser feliz
Querer por fim se aquietar.
E quando então, meu coração
Com tudo isso se acostumar
Talvez, então, pedirei perdão
Pelo meu jeito de te amar.